CBMMG participa de ajuda humanitária no Haiti

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) vai cooperar com o trabalho de ajuda humanitária no Haiti, país que foi destruído por mais um terremoto no sábado (14). O tremor que teve intensidade 7, matou milhares de pessoas e deixou a população completamente desguarnecida.


O avião da Força Aérea Brasileira decolou do aeroporto de Brasília, na manhã deste domingo (22), para Porto Príncipe, com quatro bombeiros militares do CBMMG, militares da Força Nacional e militares do Grupo de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal. A aeronave também levou materiais e equipamentos de emergência, medicamentos e insumos estratégicos para atendimento de saúde.


A ação, que é coordenada pelo Grupo de Trabalho Interministerial sobre Cooperação Humanitária Internacional do governo federal, recebeu o apoio imediato do governador Romeu Zema, que colocou os recursos estaduais à disposição da missão, que tem previsão inicial de 21 dias.


Nossos bombeiros militares irão atuar de forma integrada em ações de busca e salvamento em estruturas colapsadas.


Expertise


Os militares do CBMMG levam também na bagagem qualificações e conhecimentos adquiridos pela especialização ofertada pela Academia de Bombeiros Militar e pelas várias atuações em catástrofes semelhantes como Mariana, Brumadinho e a ajuda humanitária oferecida a Moçambique, em 2019.


Os bombeiros mineiros são especialistas em operações de salvamento e gestão de desastre, com experiência em casos de desmoronamentos, podendo atuar nas atividades de planejamento e inteligência de busca, realizando mapeamento estratégico, georreferenciamento, busca aérea, entre outras tarefas.


Tecnologia


Os quatro militares mineiros, capitão Tiago Silva Costa, tenente Rafael Rocha, sargento Wesley Bernardes Faria e sargento Thales Leite Braga, seguem munidos de ferramentas tecnológicas próprias para atuar em missões de colapso de estruturas, tais como detectores de vida, equipamentos de precisão que contam com microfones que conseguem captar ruídos nos escombros e sensores que detectam sinais vitais como respiração e batimentos cardíacos. Os sensores sísmicos e acústicos do sistema convertem as vibrações criadas pela vítima em sinais auditivos e visuais.


O CBMMG, atualmente, é o único Corpo de Bombeiros no país a possuir esse tipo de equipamento específico que ajudará sobremaneira no trabalho de buscas.






Fonte: Comunicação Social CBMMG


Atualizado às 18h40 em 14/09.