CBMPA dá início à Operação Fênix 2021

Nesta segunda-feira (16), o Corpo de Bombeiros Militar do Pará e Coordenadoria Estadual de Defesa Civil deu início à 3ª edição da Operação Fênix, que tem como foco o combate à incêndios florestais na Amazônia paraense.

As ações vêm como resposta ao grande número desses tipos de ocorrência, já que desde agosto de 2019 a março de 2021, o Pará acumula 37% dos focos de calor e desmatamento, o maior índice da região conhecida como Amazônia Legal.

Pela manhã, ocorreu a solenidade de abertura da Operação, com a finalidade de realizar as últimas orientações e o deslocamento das equipes aos municípios que compõem as quatro fases da Operação: Paragominas, Parauapebas, Pacajá, Novo Progresso e São Félix do Xingu.

As ações são realizadas em conjunto com o Exército Brasileiro, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS) e Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Iderflor-Bio), tendo como base as informações de equipes técnicas do Núcleo de Hidrometeorologia da SEMAS e do Grupo de Trabalho de Combate ao Desmatamento no Estado do Pará, monitorando e mapeando os municípios que apresentam maiores números de queimadas.


Na parte da tarde, foi realizada a coletiva de imprensa para apresentar os principais pontos a serem atendidos com a Fênix. O Comandante Geral do CBMPA e Coordenador Estadual de Defesa Civil, Coronel BM Hayman Souza, disse que a expectativa é que essa 3ª edição seja mais atuante e que se possa reduzir em 45% o índice de incêndios florestais: “o planejamento detectou que ano passado iniciamos a operação tardiamente, por isso este ano vamos iniciar já no mês de agosto, para que possamos ter melhores resultados. Nós temos parcerias com Exército Brasileiro, SEMAS e Ideflor-Bio e essa parceria é fundamental para que possamos ter resultados contundentes nessa operação”, mencionou o Comandante.

O Secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado, comentou sobre a incidência de incêndios nos meses de agosto, setembro e outubro e citou os objetivos da Operação Fênix que são: se fazer presente nos locais em que historicamente já ocorrem esses incêndios, primeiro para prevenir e segundo para que, caso ocorra, não permitir se alastrar e também cita o objetivo de responsabilizar aqueles que forem encontrados em culpa, seja questão administrativa ou criminal.

A Presidente do Ideflor-Bio, Karla Bengston também comentou sobre a operação: “temos uma ação efetiva, estratégica e pontual para que pudéssemos, de forma veemente e com respostas tão rápidas, controlar a situação de incêndios e nos prepararmos para esse verão amazônico que já estamos. Sabemos que os desafios são muitos mas, com certeza, dentro desse processo vamos alcançar os objetivos e metas estabelecidos.”

A coletiva ocorreu na Sala de Situação do CBMPA, no Quartel do Comando Geral da Corporação, em Belém. A Operação Fênix está programada inicialmente em quatro fases, se estendendo até meados do mês de outubro.


Fonte: ASCOM CBMPA


Atualizado em 18/09 às 15h03.