CNCG integra polícias militares na Operação Maria da Penha

Uma união de esforços em âmbito nacional. É assim que as Polícias Militares dos Estados e do Distrito Federal estão concebendo a Operação Maria da Penha, que teve início na última sexta-feira (20) e acontece até o dia 20 de setembro, com o objetivo aprimorar o sistema de proteção às vítimas. A operação, que é coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), foi proposta pela Câmara Técnica de Prevenção e Enfrentamento à Violência contra a Mulher do Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das Polícias Militares e Bombeiros Militares. O CNCG está integrando as PMs nesse trabalho de combate à violência contra a mulher.


No período, serão desenvolvidas várias ações para qualificar e padronizar o atendimento dos policiais às vítimas. Serão reforçados também os trabalhos para garantir o cumprimento das medidas protetivas e feita uma campanha de conscientização para estimular as denúncias, para que haja a quebra do ciclo da violência.


A operação conta com a participação do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, das Secretarias de Segurança Pública dos Estados e Distrito Federal, do Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das Polícias Militares e Bombeiros Militares do Brasil (CNCG), do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).