Companhia de Caatinga da PMSE: 13 anos de compromisso com a segurança do povo sertanejo

A Companhia Independente de Operações Policiais em Área de Caatinga (CIOPAC) da PMSE, ou simplesmente Polícia da Caatinga, como é conhecida na região do Sertão, comemora 13 anos de existência neste domingo, 16, com feitos históricos no âmbito da segurança pública sergipana. Durante esse período, a unidade especializada reduziu de forma considerável os índices de criminalidade em mais de 14 municípios do Alto e Médio sertão, principalmente no tocante aos casos envolvendo roubos de gado, bancos, pistolagem, tráfico de drogas, dentre outras modalidades criminosas que incomodavam a população sertaneja.


O atual comandante e integrante da CIOPAC desde a sua fundação, capitão Fabrício Almeida, comentou sobre a dificuldade de atuar no semiárido nordestino. De acordo com o oficial, no início, a atuação das equipes foi dificultada pela falta de conhecimento dos terrenos, em sua maioria constituído por estradas vicinais que cortam a região em vários sentidos.


“Aos poucos fomos quebrando as barreiras e chegando em locais longínquos, onde passamos a ser a única presença estatal para aqueles sertanejos sofridos. Com isso, não demorou muito tempo e conquistamos a sapiência e a confiança do homem sertanejo, desbravando a região de caatinga e combatendo os diversos crimes que assolavam a região”, explicou.


Ainda segundo o capitão Fabrício, as ações da Companhia de Caatinga trouxeram mais esperança para o povo do Sertão, que passou a trabalhar com mais tranquilidade para o desenvolvimento da região.


Para integrar o efetivo da Companhia de Caatinga o policial militar deve possuir o Curso de Operações Policiais em Área de Caatinga (COPAC), realizado em um período de 10 dias em tempo integral. A partir daí, o policial concludente é julgado apto a atuar em ocorrências de alta complexidade em uma das áreas mais inóspitas do mundo, que é o semiárido nordestino. Além disso, o candidato a ingressar nessa unidade policial deve ter o perfil de um verdadeiro “guerreiro de caatinga”, fato que deve ser demonstrado e observado ao longo do referido curso, bem como possuir conduta pessoal e profissional ilibada.


Atualmente, o efetivo da CIOPAC é composto por 68 policiais militares, todos detentores do Curso de Operações Policiais em Área de Caatinga. A Companhia conta com seis viaturas operacionais, tipo caminhonete, que atendem ocorrências e realizam patrulhamentos nas áreas rurais e urbanas, sob sua responsabilidade.


Histórico


A Unidade Especializada da Polícia Militar do Estado de Sergipe foi criada em 2008, naquela época, denominada de “Pelotão Especial de Policiamento em Área de Caatinga (PEPAC)”, com o objetivo de combater os ilícitos penais que assolavam a população residente no sertão sergipano. Com o aumento do efetivo, o então Pelotão foi elevado de categoria e passou a denominar-se “Companhia Independente de Operações Policiais em Área de Caatinga (CIOPAC).


A Companhia atua diuturnamente nas áreas rurais e urbanas que compreendem o Alto e Médio Sertão sergipano, abrangendo 14 municípios, sendo eles: Aquidabã, Canindé do São Francisco, Carira, Cumbe, Feira Nova, Gararu, Graccho Cardoso, Itabi, Monte Alegre, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora de Lourdes, Poço Redondo, e Porto da Folha, bem como atua em outras regiões do estado, conforme diretrizes do comando da PMSE.


Nesses 13 anos de existência, a unidade ficou marcada pelo trabalho abnegado dos seus integrantes, em especial do seu fundador, o saudoso capitão Oliveira, um verdadeiro guerreiro, destemido, corajoso, mas, ao mesmo tempo, uma pessoa do bem, que deixou o seu legado junto a essa unidade da Polícia Militar de Sergipe e ao povo sertanejo.


Fonte: Assessoria de Comunicação da Polícia Militar de Sergipe