Esperança em quatro patas

Cinco cavalos, Duque, Duquesa, Bernardo, Afoxé e Conde, junto com uma equipe multidisciplinar composta de psicólogo, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, assistente social, equitador e auxiliares guias dos animais são responsáveis por trazer mais qualidade de vida às pessoas atendidas pelo Centro de Equoterapia do Regimento de Polícia Montada (RPMon) em parceria com a Fundação Centro de Assistência Social (FCAS).


A Equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar na área de equitação, saúde e educação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiências e necessidades especiais . A finalidade é reabilitar essas crianças, jovens e adultos utilizando o cavalo no processo de interação, sendo uma terapia de complementação aliada a outras existentes. "Uma exigência nossa é que o praticante seja acompanhado por outras terapias, pois foi constatado que o conjunto delas proporciona um alcance maior no resultado", pontua o coordenador técnico da Equoterapia do Regimento, capitão Glauco Peixoto. Ele esclarece que para participar do serviço, que existe desde 1997 nas dependências da Cavalaria, é necessário encaminhamento de um médico neurologista ou ortopedista.


Atualmente,  cinco animais e nove profissionais atendem trinta praticantes. O tempo da sessão de Equoterapia, que ocorre dentro do picadeiro do RPMon, localizado no bairro de San Martin, no Recife, dura em média trinta minutos e visa, com emprego do cavalo, promover ganhos a nível físico e psíquico, desenvolvendo força muscular, coordenação motora e do equilíbrio. "Meu filho tinha muita dificuldade de noção espacial, tombava muito nos objetos e caia bastante. Contudo, após a Equoterapia, ele melhorou significativamente da fraqueza muscular que tinha", ressalta Mariana Rodrigues, mãe do pequeno Giovani  Medeiros, de cinco anos, portador do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e atendido no Regimento há quatro meses. Além de trazer muitos benefícios para quem está no processo de reabilitação de alguma doença ou deficiência, esse tipo de terapia tem sua eficácia comprovada no desenvolvimento cognitivo e afetivo. A interação com o cavalo desenvolve, ainda, novas formas de socialização, autoconfiança e autoestima ao praticante. "O Giovani vem super alegre e animado para as sessões. No dia seguinte, ele acorda super feliz. Ele está indo bem na escola, mais comunicativo e afetuoso no relacionamento interpessoal", comemora  Mariana.


Atualmente, o serviço de Equoterapia só é possível devido à parceria do RPMon com a FCAS, a qual é responsável por fornecer profissionais da área de saúde, materiais, cuidados veterinários e alimentação aos animais. O serviço é aberto ao público em geral, tanto civil, quanto militar. Para ingressar, o interessado deve entrar em contato através do e-mail equoterapiacas@gmail.com, whatsapp (81)983638498 ou pelo site fundacaocas.com.br


Fonte: Comunicação Social PMPE

Posts recentes

Ver tudo

PMPI realiza operações ostensivas em Corrente

Nesse fim de semana, o Comando de Policiamento dos Cerrados realizou operações em sua área, nos turnos da manhã, tarde e noite, com o objetivo de garantir a segurança da população. A ação contou com o