Governo de Minas Gerais realiza trabalho contra incêndios criminosos em Unidades de Conservação

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) participou nesta manhã (13), no Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, do lançamento de mais um esforço do governo estadual para conter ações criminosas e reduzir os impactos das queimadas no estado.


A operação especial de fiscalização e identificação de possíveis incendiários se dará de forma integrada entre o CBMMG, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), o Instituto Estadual de Florestas (IEF) e as Polícias Militar e Civil.


Na oportunidade foi anunciada a designação de quatro Companhias de policiamento para atuarem em um trabalho ostensivo no combate a incêndios florestais, principalmente nas Unidades de Conservação que mais têm sofrido com as queimadas em Minas Gerais em 2021: os Parques Estaduais Serra de Ouro Branco (Centro Sul), Serra do Papagaio (Sul), Serra do Cabral (Norte), Serra do Rola-Moça (RMBH), do Biribiri (Alto Jequitinhonha) e a Área de Proteção Ambiental (APA) Cocha e Gibão (Alto Médio São Francisco).


O reforço na fiscalização nessas unidades tem o objetivo de evitar os incêndios criminosos, e o trabalho de investigação nessas localidades também será reforçado com a Polícia Civil.


Durante a coletiva de imprensa, o CBMMG apresentou a situação dos incêndios em vegetação em Minas Gerias e destacou as ações que estão sendo desenvolvidas nesta temporada no intuito de mitigar os efeitos danosos das queimadas. O gerenciamento compreende ações de escalonamento inteligente dos esforços operacionais, o investimento em Núcleos de Incêndio Florestal (NIF’s) e monitoramento em tempo real pela Sala de Situação.


O coronel Edgard Estevo da Silva, comandante-geral do CBMMG, comentou sobre as práticas reiteradas de incêndio em locais específicos que revelam a participação humana nesse tipo de crime. E apesar de todo o esforço do Corpo de Bombeiros, Semad e IEF no combate, conscientização e orientação, ainda assim, os eventos se repetem. Por isso, o anúncio de uma fiscalização ostensiva e investigação é fundamental para coibir e penalizar criminosos.




Fonte: Comunicação Social CBMMG.