Queimaduras por álcool são a causa de quase 30% de internações em Minas; Saiba como evitar!

A pandemia de covid-19 contribuiu para o aumento do uso de álcool, tanto líquido quanto em gel, no ambiente doméstico. No entanto, a utilização exige precaução, especialmente durante o período de isolamento, já que algumas famílias têm passado a maior parte do tempo em casa e podem estar mais suscetíveis a acidentes envolvendo o produto.


A questão tem preocupado a equipe da Unidade de Tratamento de Queimados do Hospital João XXIII – um dos centros de referência no país para esse tipo de atendimento, integrado à rede da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), em Belo Horizonte. Os dados de admissão em enfermaria e em terapia intensiva, em 2020 e 2021, demonstram a gravidade das queimaduras causadas por álcool.


Nos quatro primeiros meses deste ano, o Hospital João XXIII recebeu 138 pacientes, sendo 40 por queimaduras causadas por álcool – quase 30% das internações. Já na UTI de queimados, nesse mesmo intervalo de tempo, 17 das 41 admissões foram por acidentes envolvendo a substância. Ou seja, mais de 40% das internações graves, neste ano, ocorrem em razão da má utilização do produto.


Entre os quase 430 casos de internação em 2020, 93 tiveram o álcool como agente causador do acidente, o que representa pouco mais de 20%. No entanto, quando se considera as queimaduras ainda mais graves, o produto aparece com maior frequência: entre os 110 pacientes que passaram pela UTI específica para o tratamento de queimados da instituição, 39 foram devido ao uso de álcool – número equivalente a mais de 30% das ocorrências.


Preocupado com o aumento do número de acidentes envolvendo queimaduras por álcool, o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) volta o foco para a prevenção de uma das ocorrências mais costumeiras no atendimento diário da corporação, que causam danos terríveis e muitas vezes irreversíveis no físico e no emocional das pEssoas acidentadas. Preparamos algumas dicas valiosas para evitar incidentes com uso de álcool e outros tipos de queimadura quando estiver em casa. Confira a seguir:


Cuidados gerais

Quando estiver em casa evite usar álcool nas mãos. Prefira lavar as mãos com água e sabão e siga as instruções abaixo;


Evite fumar, principalmente deitado;


Utilize cinzeiros fundos e com proteção lateral;


Em queimaduras elétricas, retire o fio da tomada ou desligue a energia geral. Nunca toque na vítima enquanto ela estiver em contato com a eletricidade. Toda vítima de queimadura elétrica deve ser levada ao hospital;


Evite manipular álcool próximo a cigarros, charutos, fósforos acesos, churrasqueiras e fogueiras;


Não utilize álcool líquido diretamente sobre o fogo, na forma de jato, devido ao risco de explosão;


Investigue vazamentos de gás. Feche a válvula do botijão antes de sair de casa e antes de ir dormir;


Mantenha o botijão de gás longe do calor direto e sempre na vertical;


Manipule os fogos de artifício com cuidado;


Evite o uso de bronzeadores caseiros;


Nunca considere uma queimadura um acidente sem importância;


Fogo e bebida não combinam. Evite.


Cuidados com as crianças Cuidados gerais



Confira abaixo algumas orientações para evitar acidentes com crianças na cozinha:


• Ao cozinhar, mantenha os cabos das panelas virados para dentro do fogão;


• Ao terminar de utilizar o fogão, feche a válvula do gás e abaixe a tampa;


• Mantenha copos e utensílios de vidro guardados longe das crianças;


• Facas, tesouras, garfos e outros objetos cortantes devem ficar separados dos talheres;


• Não permita que as crianças brinquem com fósforos e/ou isqueiros;


• Guarde os produtos de limpeza fora do alcance das crianças;


• Não deixe que as crianças tenham acesso a sacos plásticos, pois eles podem oferecer risco de sufocamento.