Serpentes: saiba como evitar acidentes

A captura de animais silvestres é algo bem comum na atividade do bombeiro militar. Dentre a variedade de espécies, as serpentes são as mais recorrentes neste tipo de atendimento, seguida de pássaros e outros animais. As cobras, no entanto, costumam causar mais pavor nas pessoas devido a capacidade de provocar morte imediata, como no caso da cobra coral, cuja picada pode levar a uma parada respiratória instantânea.


De acordo com um levantamento realizado pelo Centro Integrado de Defesa Social do Corpo de Bombeiros (Cinds), houve uma queda no número de ocorrências relacionadas a captura de cobras em relação ao ano passado, ainda assim os números comprovam que as serpentes não estão apenas no interior, mas a incidência de casos na região metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) continua frequente. Durante todo o ano de 2020 e os quatro primeiros meses deste ano já foram registradas quase duas mil capturas de serpentes em todo o estado. Somente neste ano já foram capturas quase 60 cobras na RMBH.


Para evitar acidentes, os bombeiros dão dicas do que pode ser feito quando encontrar esses animais e relembra a necessidade de adoção de alguns cuidados.


Durante as estações de primavera e verão em Minas Gerais, há um aumento de ocorrências com animais peçonhentos. Neste período, animais como escorpiões, aranhas e serpentes, saem de seu habitat natural e invadem residências e quintais e acabam provocando acidentes.


Cuidados:


-Nunca andar descalço em lugares de mata fechada. O uso dos sapatos, botinas, botas ou perneiras deve ser obrigatório;


-Olhar sempre com atenção os caminhos a percorrer;


-Usar luvas nas atividades rurais e de jardinagem. Nunca colocar as mãos em tocas ou buracos na terra, ocos de árvores, cupinzeiros, entre espaços situados em montes de lenha ou entre pedras. Esses são os melhores esconderijos para animais peçonhentos;


-Vedar frestas e buracos em paredes e assoalhos;


-Animais como galinhas e gansos, em geral afastam a serpentes das áreas mais próximas as habitações e se alimentam de aranhas e escorpiões;


-Evitar plantas como trepadeiras muito encostadas a casa, folhagens entrando pelo telhado ou mesmo pelo forro.


-Não depositar ou acumular lixo, entulhos e materiais de construção junto a casa;


-Não montar acampamentos junto a plantações, pastos ou matos em regiões aonde normalmente há roedores e serpentes;


-Nas matas ou nas beiradas das entradas, em acampamentos ou piqueniques, nunca deixar as portas do carro abertas, principalmente ao anoitecer. Mesmo durante a troca de pneu, ter essa precaução;


Em caso de acidente:


-Lavar local da picada de preferência com água e sabão;


-Manter a vítima deitada, evitar que ela se movimente para não favorecer a absorção do veneno;


-Levar a vítima imediatamente ao serviço de saúde mais próximo, se possível com o animal agressor, mesmo morto, para facilitar o diagnóstico;

-Ligue para o 193, esse número salva vidas!





Fonte: Comunicação Social BMMG.