Batalhão Ambiental da PMAM apreende maior carga de madeira ilegal do ano no AM

Em operação contra desmatamento, Batalhão Ambiental apreende maior carga de madeira ilegal do ano no AM


Em Humaitá (a 590 quilômetros de Manaus), no sul do Amazonas, o Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAmb) fez a maior apreensão de carga ilegal de madeira do ano, nesta terça-feira (25). Foram capturados em um porto particular cerca de 600 metros cúbicos de madeira extraídos de forma criminosa da floresta amazônica para serem vendidos nos estados de Minas Gerais e Florianópolis. A carga é avaliada em R$ 2 milhões.


A apreensão faz parte da operação "Tamoiotatá", que está sendo realizada pelo governo do Amazonas para coibir o desmatamento e as queimadas ilegais no sul do estado. As ações têm como enfoque os municípios que apresentam, historicamente, maior focos de queimada e incidência desse tipo de crimes ambientais. Dois homens foram presos com a carga ilegal de madeira e vão responder a inquérito na Polícia Civil.


De acordo com o relatório da ocorrência da Polícia Militar do Amazonas, a equipe recebeu uma denúncia apontando que no porto Pedrão havia uma grande carga de madeira ilegal. O responsável pela madeira apresentou Documento de Origem Florestal, ítem necessário para a circulação do material, com inconsistência. No papel, constava 254,582 metros cúbicos de madeira, entretanto, a carga real era de 591 metros cúbicos.


Depois dessa irregularidade, os policiais militares solicitaram a Licença de Operação do Porto, onde a carga de madeira estava armazenada. Mas o documento não foi apresentado.


Segundo o Batalhão de Policiamento Ambiental, a carga de madeira veio transportada por balsas e era oriunda dos municípios de Novo Aripuanã e Maués. A madeira amazônica teria como destino empresas sediadas em Contagem (MG) e Florianópolis (SC).




Fonte: Diretoria de Comunicação Social da PMAM.